Ponte sobre o rio Inhangome pronta até Maio, mas munícipes insatisfeitos com a obra

Após o desabamento da ponte sobre o rio Inhangome em Abril do ano passado, a comunidade de Inhangome clamou de todas as formas por uma ponte nova e melhor que oferecesse não só segurança mas também durabilidade, visto que a passada não levou mais de 5 anos.

Três meses depois, isto é, em Julho do mesmo ano, o Governo de Quelimane, na pessoa do Administrador do distrito, Carlos Carneiro anunciou que existiam fundos disponíveis para a construção de uma ponte condigna no local. Três meses mais tarde, precisamente, no dia 03 de Outubro de 2018, Administrador Carlos Carneiro lançou a primeira pedra para a construção de uma nova ponte e, no dia também foi afixada uma placa com detalhes da construção. Facto curioso é que na placa fixada próximo ao rio Inhangome, indica 03 de Setembro como a data de início da obra, mas as cerimónias de lançamento decorreram um mês depois, isto é, 3 de Outubro e 03 de Dezembro ficou fixada como a data prevista de término e entrega das obras. Porém, a verdade é que o ano 2018 terminou sem que as obras arrancassem.

Volvidos 5 meses após a data prevista (03 de Setembro de 2018) para o arranque da obra de construção da ponte sobre o rio Inhangome, eis que as obras iniciaram e para o dissabor dos utentes, a ponte possui características semelhantes com a antiga ponte.

A comunidade de Inhangome, maior beneficiária da ponte que está a ser construída, diz estar contente com a nova ponte e agradece ao Governo pelo feito, porém, não esconde a sua insatisfação em relação ao tipo de ponte.

Meu desejo era que tivéssemos uma ponte de metal e até tínhamos expectativas de que seria uma ponte melhorada. A ponte que está a ser construída é de madeira, igual à antiga ponte que desabou. Penso que isso é cometer o mesmo erro, porque essa ponte não vai durar nem 5 anos”, desabafou Hélder Olímpio, Secretário da Célula C do bairro de Inhangome.

Quem comunga do mesmo desejo com o do Secretário, é a jovem Raema Amisse, residente do bairro de Inhangome. “Nós agradecemos pela ponte porque pelo menos teremos como fazer a travessia. Acreditamos que neste momento, o Governo não tem condições financeiras para construir uma ponte melhor. Mas, gostaria de pedir que ao andar do tempo, o Governo possa construir uma ponte de metal,” disse.

O Delegado Provincial da Administração Nacional de Estradas na Zambézia (ANE), Moisés Nunes, fez saber que a conclusão da obra, que arrancou em Fevereiro, está prevista para o mês de Maio. No entanto, por motivos de maré-alta, o trabalho tem estado condicionado.

“Nós estamos dependentes de maré, sempre que a maré é alta, temos de parar de trabalhar, e quando baixa, o tempo de actividade é curto, mas estamos a trabalhar”.

Embora o material de construção tenha todas as recomendações e especificações técnicas para sua maior durabilidade, Moisés Nunes, continua a apelar para a seriedade na manutenção por parte dos órgãos competentes.

“A manutenção daquela ponte não vai ser muito difícil porque, é toda parafusada, não leva nenhum prego, se não a parte de cima em que estão os tabuleiros, também, são poucos que vão ser pregados, o resto é tudo parafusado. Se uma das madeiras tiver problema é só tirar e colocar outras. A qualquer altura aguardamos ao técnico do Conselho Autárquico para se juntar a ANE para poder assistir o processo de construção, para serem eles, depois, a seguirem com a manutenção, segundo as instruções que vamos dar e que eles vão ver no terreno ”, declarou.

De referir que, a actual ponte em uso, construída pela própria comunidade em resultado da falta de solução por parte das autoridades governamentais e municipais de Quelimane, na altura do desabamento da antiga ponte, não oferece segurança. É possível ver no terreno a sua precoce degradação, que coloca em risco muitos cidadãos que ali atravessam.

Cidadãos De Moçambique

Cidadãos de Moçambique

info@cidadaos.org.mz

Somos uma rede de activistas, independentes e apartidários, dedicados a assegurar que os cidadãos tenham o direito a informação e a informar bem como a capacidade de influenciar as decisões políticas, macro e micro, com impacto sobre as suas vidas

Sem comentários

Postar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: